• Dra Lilian Tamarindo

Mitos e verdades sobre franquias

A constante expansão do mercado de franquias pelo Brasil já é uma realidade. Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), o mercado de franquias fatura bilhões anualmente no setor econômico. Diante desse fato, percebe-se o quanto esse tipo de negócio cresceu nos últimos anos, sendo cada vez mais buscado por empreendedores e investidores de diversos perfis.


Existem alguns mitos sobre franquias, que acabam influenciando muita gente a tomada de decisões erradas, ou ainda, a se decepcionar ao constatar no dia a dia, que a ideia que tinha inicialmente sobre o negócio não corresponde à realidade. Diante disso, nós separamos os principais mitos sobre franchising e mostraremos a realidade do negócio, para que você investidor, saiba exatamente em que tipo de negócio está entrando.


Cada vez mais, os investidores e empreendedores se tornam criteriosos em suas pesquisas e dessa forma, os principais mitos sobre franquias veem sendo derrubados. Esse conhecimento, é fundamento para que o empreendedor tome uma decisão baseada em fatos e não em verdadeiras lendas que correm soltas em bate papos informais e até mesmo em algumas publicações.


1 - Qualquer um pode ser franqueado


Esse é um mito que pode representar um perigo significativo para quem investe em uma franquia. É preciso que você, antes de tudo, avalie o seu perfil de empreendedor e tenha certeza sobre a sua forma de trabalhar. Na franchising existem algumas características especiais do negócio que o tornam diferente, e por esse motivo, o perfil do empreendedor precisa preencher essas exigências do modelo. Na prática, nem todos se adaptam ao sistema, pois, o franqueado gerencia uma loja franqueada, mas precisa seguir os padrões do franqueador que os criou, e isso não é algo tão fácil para algumas pessoas, enquanto outras tiram de letra. No modelo de franquia você conta com o suporte do franqueador e o remunera com um determinado valor sobre o seu faturamento na maioria dos casos. É preciso ter ciência que terá que trabalhar duro, se adaptar bem as regras e padrões pré-estabelecidos.


2 - Gerenciar uma franquia dá pouco trabalho


Esse é um dos mitos mais comuns, acredite! A ideia de que a pessoa trabalha menos do que trabalhava antes de ser franqueado está completamente errada. Principalmente no início da franquia, pois, é preciso trabalhar muito, e muitas vezes colocar literalmente as “mãos na massa”.


A estrutura operacional de uma franquia geralmente é enxuta, mas o franqueado exerce papéis fundamentais, os quais tomam bastante tempo, exigindo a maior dedicação. Antes da decisão final sobre adquirir, ou não, uma franquia, é primordial obter a aprovação e o compromisso de sua família com o empreendimento. Pois, a carga de trabalho será bem grande e provavelmente o tirará de casa por mais tempo, por vezes, uma mudança temporária nos padrões de vida também se faz necessário.


3- O risco é muito baixo


Quando se fala de franquias, as vantagens apontadas são justamente a questão da segurança e garantia, mas os resultados só poderão ser alcançados com muita dedicação, esforço pessoal e entusiasmo por parte do franqueado. A concessão de uma franquia engloba a transferência de “know how” e a prestação de serviços, mas o sucesso do negócio franqueado vai depender também da operação adequada da franquia. Se comparado ao risco de um negócio que irá partir do zero, quando não há muita experiência, o risco de uma franquia pode ser menos, mas isso não significa que ele não exista.


4 - O retorno do investimento é rápido e garantido


Um dos primeiros questionamentos de um candidato a franqueado deve ser qual o prazo de retorno do investimento. Tal prazo deverá ser analisado no estudo de viabilidade da franquia, e deve constar de qualquer documento jurídico, já que não está previsto na lei.


Juridicamente, desde a apresentação da Circular de Oferta, fica evidente que o franqueador não garante a rentabilidade, faturamento ou lucratividade para o franqueado, devendo tal expectativa ser muito bem analisada no estudo de viabilidade econômico-financeira apresentada pelo franqueador. O retorno do investimento não pode ser estimado sem parâmetros, e uma avaliação detalhada no fluxo de caixa previsto em simulações.


É claro que existem franquias de retorno rápido, mas cabe a você analisar este prazo. Este é um mito para qualquer negócio. Aliás, um conselho valioso para qualquer empreendedor é: fuja de empreendimentos que prometem retorno imediato. Depois de implantar uma unidade, é preciso de pelo menos alguns meses para que ela comece a se estruturar, amadurecer e ganhar dinheiro. Então, antes de adquirir uma franquia, você precisa estar atento em relação ao prazo de retorno sobre o investimento. Isso é importante para que você possa fazer um planejamento financeiro adequado e garantir uma reserva para eventuais imprevistos. E ainda que o retorno possa ser estimado, não é possível determinar exatamente quando ele acontecerá.


5 - Uma marca robusta ou gostar do produto é o suficiente para garantir o sucesso da franquia


Gostar do produto com o qual você trabalha é um pré-requisito básico para a escolha de uma franquia ou mesmo para montar um negócio próprio. Afinal de contas, você precisa acreditar em algo para poder vender, certo? Um dos grandes, senão o maior, dos mitos sobre franquias é esse, pois, se o dono de uma marca não souber divulgá-la efetivamente no mercado ou não fizer inovações, como novos produtos e serviços, ela pode se tornar obsoleta.


Confiar exclusivamente na força da marca, tomando-a como permanente, pode ser um erro fatal. A manutenção da marca é obrigação constante do franqueador, pois, é seu patrimônio mais importante. Ser franqueador de uma marca famosa pode oferecer uma boa vantagem, pois, o nome já é conhecido pelo público, mas não é tudo.


O franqueado deve verificar qual a experiência da empresa dona da marca em ser franqueadora, pois, ela pode ter muita experiência no seu ramo de atuação, mas não ter muita prática com o sistema de franquias, o que poderá trazer dificuldades ao franqueado.


6 - Não é preciso advogado para analisar a documentação


Os contratos podem ser tendenciosos e beneficiar mais alguma das partes. Por isso, antes de assinar o documento ou fazer qualquer espécie de pagamento, todo candidato a franqueado deve pedir no mínimo a opinião de um profissional, de preferência um advogado ou consultor especializado no assunto.


Nas franquias, os contratos funcionam por adesão: ou você concorda com o que consta no documento ou não poderá ser um franqueado da marca. Geralmente, não são possíveis alterações ou negociações, já que o mesmo contrato é aplicado em toda a rede. Por isso, o apoio de um advogado especializado, além dar mais segurança, vai evitar que você fique preso a contratos tendenciosos e que beneficiem mais o franqueador que o franqueado.

7 - O franqueado não pode opinar sobre o negócio

Esse é um mito que acaba afastando muitos empreendedores do modelo de negócios. De fato, uma das principais características de uma franquia é ter todos os processos padronizados. Mas isso não quer dizer que o franqueado não tem voz, que não pode questionar as decisões do franqueador ou que deve apenas obedecer ao que lhe é passado.


Pelo contrário: o envolvimento e a proatividade do franqueado são essenciais para o crescimento da marca como um todo. E ainda que o franqueador possua um “know-how” valioso sobre a marca, ele não tem a mesma vivência local que o franqueado. Logo, reunir as experiências acumuladas por cada unidade ajuda a definir as estratégias futuras da rede – e as franquias estão valorizando cada vez mais essa troca de conhecimentos.


8 - Não é necessário manter contato com outros pontos da rede


A experiência obtida ao conversar com outros franqueados da mesma rede é extremamente agregadora, uma vez que essas pessoas estão na posição que o candidato irá se encontrar. Assim como, conversar com ex-franqueados da rede também é importante, já que aqueles que saíram nos últimos doze meses devem ser relacionados na circular de oferta de franquia. Entrevistar os franqueados da rede é praticamente uma obrigatoriedade para os interessados em adquirir uma franquia.


O interessado deverá preparar um questionário e conversas com alguns franqueados para identificar os pontos fortes e fracos da empresa franqueadora antes de tomar sua decisão de investir na empresa.

É interessante também consultar sites especializados, como o guia de franquias Brasil e Associação Brasileira de Franchising, bem como analisar a imagem que a marca tem junto ao público e isso pode ser feito no site Reclame Aqui, e nas redes sociais.


9 - Investir em franquias é mais caro que começar um negócio próprio


Ao contrário do que muitos pensam, uma franquia demanda apenas uma fração do investimento que uma empresa convencional de mesmo porte exigiria. Deve-se considerar nesse cálculo que o franqueado terá a sua disposição todo o “know-how” da equipe de gestores da franquia para ajudá-lo na implantação e na tomada de decisões.


Além disso, o empreendedor franqueado estará em vantagem, pois, já elimina as etapas iniciais, e com o suporte da franqueadora evita uma série de erros comuns na fase de testes de um novo negócio – o que representa uma economia significativa de recursos.


10 - Franqueadoras têm como preocupação apenas expandir


Sejamos justos: este é o propósito de algumas franquias presentes no mercado. No entanto, são essas mesmas marcas que encontram dificuldades de se consolidarem. A construção de uma rede é um trabalho complexo e exige que cada unidade receba atenção e suporte antes que a venda de mais lojas seja efetuada.


Então, antes de investir em uma franquia, seja ela conhecida ou não, é importante que você pesquise se ela consegue manter suas unidades em operação. Uma franquia séria vai se preocupar primeiro com o sucesso de cada franqueado antes de pensar em expandir. O crescimento da rede será consequência.



Dra Lilian Tamarindo

Advogada Associada